sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

[EVENTO] Vagas Campus Party Brasil 2011 - Papai Noel chegando!

Olá, campuseir@s!

Vc ainda tem tempo de conseguir uma das vagas que o Paco Ragageles, criador da campus, sorteará como presente do Papai Noel.

Coloque no Twitter o hashtag #quieroiracp, o nick do paco @pacoragageles e um motivo porque deve ir à campus. Dentre todos, o Paco sorteará 2 entradas por país para ir à Campus. Ainda existe uma oportunidade, não fique de fora. Abraço,
Campus Party Brasil

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

[INFORMAÇÃO] Você é Empreendedor ou Inventor?

Olá, campuseir@s!


Campuseiros Empreendem, uma das duas categorias disponibilizadas através do Campuseiros Apresentam, já tem guardado na manga as primeiras premiações para 2011!



Graças a um acordo com o GVcepe da Escola de Administração de Empresas de São Paulo (@fgv_eaesp), mantida pela Fundação Getúlio Vargas, os primeiros colocados levarão de lambuja a inscrição e o posicionamento nas feiras regionais da competição de Startups Desafio Brasil 2011 (saiba mais sobre o de 2010).



Já a Aceladora (@aceleradora), uma rede de mentores e formadora de empreendedores, dará um processo de mentoring personalizado e detalhado aos primeiros colocados do Campuseiros Empreendem Geral. Além disso, receberão uma carta de apresentação do empreendedor, recomendando-o a investidores.


Bom, o caso do Campuseiros Inventam, você já sabe, né? Serão R$ 100 mil oferecidos pela Telefônica, a chance de conhecer até 5 Campus Party ao redor do globo e muitos mais!



Ainda tem dúvidas? Participe!

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

[TECNOLOGIA] O último Geek Vibrations Brasil do ano


Olá, campuseir@s!
2011 está aí, batendo à porta. Sendo assim, vamos preparando nossa despedida de 2010 com aquele que será o último Geek Vibrations Brasil do ano!
E para fazer justiça a este momento especial do nosso livecast oficial, nada melhor que um programa lotado de atrações!
Faremos um anúncio surpresa sobre a abertura da Campus Party Brasil que certamente fará com que a expectativa da galera cresça ainda mais!
Teremos um convidado estrela a ser anuncado hoje mais tarde no twitter... tan tan tan... fique de olho no @CampusPartyBra!



Também voltaremos a falar da área mais empreendedora do evento, o Campuseiros Apresentam, com destaque para novos prêmios da categoria Campuseiros Empreendem. Na programação, entrevistas do nosso Assistente de Conteúdos Gabriel Colasso e Yuri Gitahy, fundador da empresa Aceleradora, nossa parceira.
Além disso, mostraremos como seria um Natal na era digital e, de lambuja, a PagSeguro também está de volta com mais 10 camisetas da bacaníssima Camiseteria para premiar aos campuseiros. Você já está de malas prontas? Pra fechar com chave de ouro, Castrezana e Régis darão dicas providenciais (com a ajuda de vocês, claro!) do que levar e o que não levar à Campus.
Até lá, controle a sua ansiedade e conecte-se conosco a partir das 22h (horário de Brasília), na Campus TV!

[TECNOLOGIA] Campus Party Brasil 2011 - Invente, crie, realize e ganhe 100 mil reais!


Um dos lemas da Campus Party diz “unimos talento, criamos o futuro”. Embora esta seja uma tendência recorrente em todas as áreas de conteúdos, o Campuseiros Apresentam se propõe a ser uma síntese perfeita deste sentimento.

O grande desafio consiste em criar um espaço exclusivo para que os campuseiros exponham suas ideias de negócios e projetos empreendedores com o objetivo de que estes venham a se tornar realidade.
No ano de 2011, esta área chega totalmente renovada e revigorada, estando dividida em duas categorias distintas: Campuseiros Empreendem e Campuseiros Inventam. Para saber mais, clique em cada uma delas e desbrave a seção exclusiva disponível no nosso site oficial.

Ok, mas e os prêmios?

Além, claro, de toda a exposição, tanto a grandes empresas, quanto à mídia presente ao evento, nada melhor que belas premiações para motivar os campuseiros a participar, não é mesmo?

Para o Campuseiros Inventam, uma parceria com a Telefônica permitiu premiações sensacionais. Olha só: Prêmio de 100.000 reais em espécie para que o campuseiro possa se dedicar durante um ano no aperfeiçoamento de seu produto.

Um mentor que ajude o campuseiro na hora de adaptar o produto às necessidades do mercado. Registro das patentes pertinentes.

Convite para participar de 5 Campus Party a sua escolha: incluindo o bilhete de avião, entrada VIC (Very Important Campusero), acampamento com barraca e 3 refeições diárias.

Já no caso do Campuseiros Empreendem, elas serão anunciadas através dos nossos meios de comunicação oficiais antes das fases de encerramento do concurso.

Tá bom, ou quer mais? Corre lá para o nosso site e faça a sua inscrição!

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

[WEB] Como integrar sites corporativos a redes sociais


1- Integração social zero: a empresa não faz qualquer menção ou não promove qualquer ligação entre suas comunidades e seu site. Só perde com isso, uma vez que os usuários das redes irão considerar seu site irrelevante.

2- Ligação entre um e outro, mas sem estratégia: são sites que colocam avisos como “siga-nos no Twitter”, “seja nosso amigo no Facebook” ou “compartilhe esse conteúdo”. Segundo alguns analistas, é o primeiro passo para se estabelecer um tráfego em direção às redes sociais. Ao compartilhar seu conteúdo, cria-se uma abertura na estratégia da empresa para encorajar usuários e clientes a opinarem sobre seu negócio.

3- Ligação entre um e outro, estimulando a conexão: passo muito parecido ao item dois, mas com estímulos para que o usuário de seu site espalhe as mensagens induzidas pela empresa. Tem de tomar cuidado para não atingir estágios considerados intrusivos pelo internauta e suas relações na plataforma social.

4- Experiência socialmente integrada: nessa fase, é importante estender a experiência da marca às redes sociais e fazer com que os usuários estejam “com” a marca. É preciso criar, articular e conduzir diálogos sobre seu negócio nos canais sociais. Porém, integrar pessoas à sua estratégia de rede social significa trazer a voz delas para seu espaço e não fazer com que elas fiquem repetindo o que a empresa diz.

5- Agregar conversações ao site: nesta fase, a estratégia vai se tornando real, uma vez que sua empresa começa a reunir no site conversas ou parte delas que giram em torno de seu negócio. O site se transforma em agregador de seu produto ou negócio e é por ele que o internauta saberá sobre sua presença na plataforma de relacionamento. A dona da marca não tem controle sobre o que é falado dela, mas pode controlar o que será mostrado de volta em seu site.

6- Seu site com login social: colocado em prática o nível cinco, o passo seguinte é oferecer a possibilidade para que as pessoas se cadastrem em seu site e usem seus serviços com a mesma identidade adotada em uma rede social. O login social simplifica a vida do usuário e, nesta fase, o site passa a atrair a comunidade à medida que seus serviços adicionais tenham um público de verdade e que eles agreguem algum valor na vida desses usuários.

7- Ampliando o uso do login social: os internautas passam a entrar no site usando seus logins sociais e devem encontrar maneiras de compartilhar conteúdos, resultados e opiniões com outros usuários de plataformas de relacionamento.

8- O site se converte em rede social: o destino final dessa integração é fazer seu negócio ser a própria rede social.

por: Luciano Delfini
em: Locaweb ano3 nº23

[INFORMAÇÃO] As mídias sociais

Reputação vende!

Pelo menos é o que mostra o estudo da Deloitte, para o qual 85% das empresasresponderam que visam melhorar a reputação de sua marca ao optar pelo uso das mídias sociais, ainda que o incremento das vendas tenha sido apontado como principal objetivo por 55% dos participantes.
Apesar da atenção voltada à opinião dos internautas, Cipriani afirma que é impossível garantir que uma ação de marketing inclua a preocupação com a reputaçãoda marca. Por outro lado, o especialista em mídias sociais alerta para o fato de que o consumidor que começa a despontar nas plataformas de relacionamento é uma "criança mimada", que reclama quando é minimamente contrariada. "Qualquer coisa que acontece, o usuário já diz que vai colocar no Twitter. Esse é o consumidor do momento, e a empresa tem que se adequar à realidade", avalia.
Nesse contexto, são inúmeros os casos de empresas e marcas que tiveram a credibilidade abalada com o poder e a rapidez de alcance dos comentários lançados nas redes sociais, revelando total despreparo na gestão da crise. Ian lembra os "clássicos" problemas enfrentados pelas operadoras de telefonia.
...
Na opinião de Ian Black, a única maneira realmente eficiente de uma empresa conquistar a decisão de um cliente por meio da referência de outros consumidores é oferecendo bons produtos e serviços. Isso ninguém ousa questionar.
...
Chegamos a conclusão que o recurso mais relevante oferecido pelas redes sociais ao mundo corporativo é a possibilidade da transparência. Segundo Cipriani, não há outro mecanismo mais efetivodo que o espaço criado pelas plataformas de relacionamento para que a empresa seja transparente no mercado. E os efeitos que essa relação aberta provoca, cedo ou tarde, serão sentidos no departamento de vendas de qualquer companhia.

por: Luciano Delfini
em: Locaweb ano3 nº23

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

[REDE] Segurança sem fio

Usuários (e donos) de serviços importantes e populares como Facebook, Google, Yahoo e Twitter estão de cabelo em pé com a informação de que qualquer um, compartilhando uma conexão wireless não segura, pode ter suas contas hackeadas por outro usuário simplesmente usando uma extensão para Firefox.
O programador de Seattle, Eric Butler, desenvolveu a extensão Firesheep justamente para destacar o nível de gravidade do problema: se qualquer um, com uma simples extensão de navegador, consegue invadir tantos serviços importantes, devemos realmente confiar nesses serviços para gerenciar nossas vidas?
A vulnerabilidade exposta pelo Firesheep não é nenhuma novidade, muitos websites grandes transmitem as chaves para a sua conta – seus coockies de login http – sem nenhuma proteção e qualquer um com acesso a uma rede desprotegida pode capturá-los (e usá-los).
É claro que se você navega em uma rede wireless segura não precisa se preocupar, mas a grande quantidade de redes abertas ou com a fraca encriptação WEP, comum em cibercafés, lojas, shoppings, restaurantes e outras centenas de lugares é de deixar qualquer um preocupado.
Eu, particularmente, sempre ajo com cautela quando vejo que não estou numa conexão https e vejo o lado bom dessa histeria causada pela extensão Firesheep, já que isso vai obrigar os grandes websites a largarem a preguiça e, finalmente, começarem a fornecer conexões seguras o tempo todo, em vez de somente no momento do login.

por: LONELYSPOOKY

Realizadores e idealizadores do Projeto: Rafael Soares, Bruno Salgado, respectivamente diretor de tecnologia e diretor executivo da Clavis, Benito Paret, presidente do Seprorj e Alberto Blois, presidente da Altex Realizadores e idealizadores do Projeto: Rafael Soares, Bruno Salgado, respectivamente diretor de tecnologia e diretor executivo da Clavis, Benito Paret, presidente do Seprorj e Alberto Blois, presidente da Altex

Milhares de redes sem fio vulneráveis são detectadas no coração comercial do Rio de Janeiro

Na última terça-feira, 30 de novembro, Dia Internacional de Segurança da Informação (DISI), aconteceu oWar Driving Day RJ (www.wardrivingday.org), primeira edição de um projeto que pretende acontecer semestralmente em famosas ruas de uma grande cidade. Promovido pelo Sindicato das Empresas de Informática (SEPRORJ) e executado pela Clavis Segurança da Informação e Green Hat Segurança da Informação, tem como principais objetivos educar e alertar sobre a segurança da informação em redes sem fio.
A ação começou às 13h e se estendeu até mais ou menos 15h30m. O dia estava quente – os termômetros marcavam 37°. Um carro adesivado com duas antenas de alta potência presas ao teto e capazes de detectar redes wireless a alturas de até 20 andares, percorreu, em uma velocidade média de 25 km/h, a Avenida Rio Branco, coração comercial do Rio de Janeiro, cuja extensão é de 5,4 quilômetros.  Presentes, além do motorista, estavam ainda o jornalista André Machado, que cobre tecnologia e segurança digital no jornal O Globo, Bruno Salgado e Rafael Soares, respectivamente diretor executivo e diretor de tecnologia da Clavis, além de Sylvestre Mergulhão, diretor da Helabs, empresa especializada em desenvolvimento de software e auditor do projeto e Janaina Bernardes, da agência Tuiuiú, que atua como assessora de imprensa da Clavis.
Foram três voltas suficientes para detectar 3.670 redes sem fio (Wi-Fi), das quais 1.836 (50,04%) estavam sem qualquer protocolo de segurança. 282 (7,68%) apresentavam o recurso WEP (Wired-Equivalent Privacy), protocolo considerado extremamente vulnerável por especialistas do setor. Em contrapartida, 1.552 redes (42,28% do total) usavam proteção WPA, considerado segura (posição intimamente ligada à força da senha). É importante considerar que além de escritórios comerciais de importantes empresas, a Avenida Rio Branco abriga também muitos bancos. Porém, o War Driving Day se limitou a detectar as redes, mas sem as violar.
Estatísticas detalhadas serão divulgadas no dia 06 de janeiro no site do War Driving Day e no Blog SegInfo (http://www.seginfo.com.br), site especializado em informações, notícias e novidades relacionadas a área de Segurança da Informação. Fiquem atentos!

por: tuiuiucomunicacao

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

[EVENTO] Campus Party Brasil 2011! Prêmios!!

No ano de 2011, o Campuseiros Apresentam chega totalmente renovado e revigorado, estando dividido em duas categorias distintas: Campuseiros Empreendem e Campuseiros Inventam. Para saber mais, clique em cada uma delas e desbrave a seção exclusiva disponível no nosso site oficial.

Ok, mas e os prêmios?

Além, claro, de toda a exposição, tanto a grandes empresas, quanto à mídia presente ao evento, nada melhor que belas premiações para motivar os campuseiros a participar, não é mesmo?

Para o Campuseiros Inventam, uma parceria com a Telefônica permitiu premiações sensacionais. Olha só:

• Prêmio de 100 mil reais em espécie para que o campuseiro possa se dedicar durante um ano no aperfeiçoamento de seu produto.

• Um mentor que ajude o campuseiro na hora de adaptar o produto às necessidades do mercado.

• Registro das patentes pertinentes.

• Convite para participar de 5 Campus Party a sua escolha: incluindo o bilhete de avião, entrada VIC (Very Important Campusero), acampamento com barraca e 3 refeições diárias.

Já no caso do Campuseiros Empreendem, elas serão anunciadas através dos nossos meios de comunicação oficiais antes das fases de encerramento do concurso.

Tá bom, ou quer mais? Corre lá para o nosso site e faça a sua inscrição!

Nos vemos na Campus!

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

[INFORMAÇÃO] Ganhe 1 vaga na Caravana/RJ para o PHP Conference 2010 - Novo Resultado

Pessoal, fizemos um novo sorteio pois o ganhador anterior não poderá participar da caravana.

Novo Ganhador da Promoção: @SuporteLCS

Sorteio realizado pelo site RANDOM.ORG

random2 [Novo Resultado da Promoção] Ganhe 1 vaga na Caravana/RJ para o PHP Conference 2010.

Lista dos 10 primeiros que acertaram a resposta
1 – @Tesuk
2 – @nadoneves
3 – @FernandoFalci
4 – @betorma
5 – @MauroFreitas_JR
6 – @cyrothadeu
7 – @uilerson
8 – @Eli_rubim
9 – @SuporteLCS (GANHADOR)
10 – @nielecosta02

Parabéns ao ganhador !!!

Pedimos que entre em contato pelo email contato@yoonix.com.br com urgência.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

[INFORMAÇÃO] Ganhe 1 vaga na Caravana/RJ para o PHP Conference 2010 (RESULTADO).

Ganhador da Promoção: @alccorrea

Sorteio realizado pelo site RANDOM.ORG

random [Resultado da Promoção] Ganhe 1 vaga na Caravana/RJ para o PHP Conference 2010.

Lista dos 10 primeiros que acertaram a resposta

1 – @alccorrea
2 – @Tesuk
3 – @nadoneves
4 – @FernandoFalci
5 – @betorma
6 – @MauroFreitas_JR
7 – @cyrothadeu
8 – @uilerson
9 – @Eli_rubim
10 – @SuporteLCS

Parabéns ao ganhador !!!

Pedimos que entre em contato pelo email contato@yoonix.com.br

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

[EVENTO] Ir ao PHP Conference 2010 em SP com tudo pago?‏ É HOJE!

Um oferecimento: GUIA DO PHP

[EVENTO] CPMéxico y CPBogotá - siga e participe da promoção!

Esta noche en #geekvibrations,
¡Gana una entrada a CPMéxico y CPBogotá!


Hoy a las 9pm hora de la Ciudad de México / 10pm hora de Bogotá es #geekvibrations con @akirareiko ¡Tendrás la oportunidad de ganar una entrada a CPMéxico y CPBogotá!
Los temas de esta noche son:

+ Pedro Galván de Sofware Gurú hablará de SGEmprendeResolveremos dudas sobre el Green Apps Challenge

+ Everis, la consultora de negocios explicará su papel en el Green Apps Challenge

+ Tacvbo asesor de área de CPMéxico hablará de software libre

+ Entrevistaremos a Andrés Muñoz, director de Campus Party Bogotá

+ En Campuseros Presentan Fernando hablará de su proyecto IluMéxico

+ Tendremos el Gadget de la semana, invitados de comunidades y más…

¡Muchos invitados, información y música en #geekvibrations!

terça-feira, 16 de novembro de 2010

[EVENTO] PHP’n Rio 10

Grupo Local de Usuários de PHP do Rio de Janeiro (PHP Rio) organizou no ano de 2009 o evento, de uma noite apenas, chamado de PHP’n Rio 09. Mesmo com apenas 03 dias de divulgação local, o retorno da comunidade foi magnífico. O auditório encheu além das expectativas com a presença de profissionais e estudantes, que tiveram uma participação excepcional.

Seguindo com a mesma determinação de produzir eventos de qualidade, O PHP Rio se organizou para realizar a próxima versão da conferência, o PHP’n Rio 10, em 20 de Novembro de 2010, no auditório da PUC Rio – Rio de Janeiro.

A grade será composta por palestras e mini cursos voltados à comunidade que utiliza a linguagem PHP como ferramenta de trabalho e/ou aprendizagem.

PROGRAMAÇÃO


Mais informações no site do evento: http://www.phprio.org/phpnrio10

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

[INFORMAÇÃO] Kinect e a criança com autismo


De todas as recentes notícias do Kinect, que falam do primeiro acidente, ou então do concurso para conseguir hackear o aparato para testar a segurança, ou que as vendas iniciais estão muito bem, uma notícia que fala sobre sua facilidade de uso se sobressai.
John Yan, dono do portal Gaming Nexus, não estava com a menor vontade de comprar o Kinect, já que não ficou impressionado com a habilidade de se jogar sem o controle. Ele foi em frente e comprou mesmo assim.
Enquanto ele testava a nova tecnologia, seu filho de quatro anos ficou muito interessado em jogar o Kinect Adventures, porque a caixa parecia divertida. Mas o filho dele tem autismo, e sempre quando tenta jogar qualquer jogo, o garoto fica frustrado em ter que usar o controle, o que não é fácil para ele. Mesmo repetidamente falando “Papai, eu quero jogar com você”, o que acaba acontecendo é que seu filho sempre fica assistindo seu pai jogar. Até que eles conseguiram o Kinect.
Depois de colocá-lo para jogar o primeiro minigame, John ficou muito feliz de ver seu filho se divertindo com Kinect Adventures. A declaração dele é incrível:

“Ele pulava por todos os lados e balançava seus braços e pernas tentando socar as bolas de volta nos blocos. Era muito legal de ver, mas o que realmente me deixou impressionado foi quando o jogo acabou. Meu filho pôde navegar pelos menus sem o menor problema.”
“Eu dizia ‘segure sua mão e coloque no botão’. Sem hesitação, ele levantou sua mão e moveu em cima do botão na tela, e segurou até a animação circular terminar, indicando que o botão foi pressionado.”
“Depois desse ensinamento inicial, ele continuou explorando todos os menus sem praticamente qualquer direcionamento meu. Eu simplesmente fiquei parado e impressionado com o que eu acabei de ver. O time de design da Microsoft fez um trabalho tão bom criando uma interface de usuário com o Kinect que meu filho conseguiu navegar por cada menu para ir ao próximo round em Rally Ball. É intuitivo o suficiente que eu mal precisei ensinar meu filho de quatro anos com necessidades especiais como usar o menu.”
“Pela primeira vez, eu pude jogar algo com meu filho e não passar tempo algum com ele ficando frustrado por não conseguir fazer nada, ou ter um personagem travado numa tela. Ele se divertiu com todos os jogos e de fato se deu bem em todos eles. A alegria nos seus olhos enquanto ele era capaz de completar as tarefas e se mover pelos menus é algo que eu nunca vou esquecer.”

Via The Escapist
por: Stephan Martins

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

[REDE] Os 4 P's do e-mail marketing

E-mail marketing dá resultado. Mas muitas empresas ainda não fazem e-mail marketing como deveriam. Para obter o máximo resultado em uma campanha de e-mail marketing é preciso estar atento a alguns conceitos e critérios que podem fazer toda a diferença. Observando as melhores práticas de empresas que estão obtendo resultados muito expressivos em e-mail marketing, procurei sintetizar alguns conceitos para resumir as linhas gerais de uma boa campanha de e-mail marketing. Não tenho a pretensão de esgotar o tema, mas vejo grandes oportunidades sendo desperdiçadas por puro desconhecimento de clientes e, até, de agências de propaganda, tradicionais ou digitais. Meu objetivo é justamente levá-los a uma reflexão. E, para ficarmos alinhados com o velho marketing, adotei também quatro Ps. Os 4 Ps do e-mail marketing são: Proposta, Pertinência, Permissão e Permanência.

1 – Proposta
A proposta é a síntese do que a empresa está oferecendo ao mercado via e-mail. Ou seja, qual é o produto/serviço comercializado e em que condições, como preço, prazo, condições de pagamento, promoções de venda. Faz parte da proposta, também, a apresentação visual e a mensagem, com uma idéia instigante, uma comunicação persuasiva, um layout claro e atraente, evitando-se o uso de palavras que podem ser indicativas de mensagens de spam e que são analisadas e classificadas pelos principais provedores do mercado. Por fim, a proposta do e-mail marketing realizado deve estar integrada com outras ações de comunicação para potencializar o resultado e aproveitar o que cada mídia tem de melhor a oferecer.
E, entenda-se por mídia não apenas os veículos de comunicação tradicionais, mas também, ações de telemarketing ativo e receptivo e vendas pessoais. Todos têm que estar alinhados, falando a mesma língua, mas respeitando suas próprias características. Se lembrarmos que o Easy Mailing, bem como outros bons sistemas de gerenciamento de e-mail marketing do mercado, fornece informações precisas e confiáveis sobre quem viu a campanha de e-mail marketing – e em que produtos/serviços está interessado – o potencial para criar ações de cross media é enorme.

2 – Pertinência
Neste aspecto, o e-mail marketing pode ser uma experiência desejável – e até agradável –para seu público. Ou ser uma sogra chata que insiste em lhe visitar nas horas mais inconvenientes. A pertinência diz respeito a quanto sua empresa e sua proposta são relevantes para seu público. Neste caso, para sua base de clientes e prospects. Não adianta mandar e-mail de uma Pet Shop para quem não tem animal de estimação, correto? A não ser que a proposta seja, justamente, sobre as vantagens e alegrias de se ter um bichinho. A pertinência não está apenas no produto em relação ao público, mas no próprio teor da mensagem e na adequação ao seu público que, afinal, fazem parte da Proposta.
Pertinentes também devem ser as listas de e-mail utilizadas em uma campanha de e-mail marketing. Deve-se evitar as empresas que divulgam – via spam – listas milagrosas de milhares ou milhões de e-mails a preços absurdamente baixos. Por outro lado, é possível alavancar o crescimento da própria base de contatos cadastrados de uma empresa usando-a para este fim. A criação de uma campanha de opt-in (cadastro para recebimento de e-mails da empresa ou produto) a partir de indicação de amigos dos clientes que, eventualmente, compartilham o mesmo interesse sobre seu produto e empresa, com oferta de algum benefício para quem se cadastrar em seu site, é apenas uma, entre várias idéias criativas, que podem ser implementadas. Se a empresa possui lojas físicas, é fundamental cadastrar o e-mail dos seus clientes no ato da compra e pedir-lhes autorização para enviar e-mails. Se os produtos de uma empresa são pertinentes para quem os consome, o mesmo pode valer para sua campanha de e-mail marketing.
Defendo a visão de que e-mail marketing é como mala-direta impressa. Às vezes recebo folhetos que não me interessam. E o destino é o lixo. Porém, algumas vezes, acabo por descobrir um produto que me desperta o interesse. Mesmo sem pedir para receber essa mala-direta, ela acabou me trazendo uma informação nova e desejável. No caso do e-mail, é até melhor e ecologicamente responsável: não consome papel, pode ser deletado a um simples clique e é muito, muito mais barato.

3 – Permissão
Independentemente da base de dados de e-mail ser grande ou pequena, lembre-se: respeite a opção de descadastro do seu público. Esse é um aspecto do e-mail marketing que não tem paralelo no mundo físico. O respeito à opção de descadastramento de seu cliente ou prospect deve ser observado religiosamente, acima de tudo. Mas o tão comentado opt-out (descadastro) não deve ser visto, necessariamente, como algo negativo. Trata-se, também, de uma excelente oportunidade para a empresa entender o que tem valor para seu público, o que ele deseja, quais necessidades que não estão sendo atendidas e porque não está satisfeito com sua comunicação via e-mail. Uma amostragem qualitativa de quem fez opt-out é um material rico para uma pesquisa por telefone, mala-direta ou, até mesmo, pessoal. E seu público vai ficar muito satisfeito e encantado ao ver que sua empresa realmente o valoriza e quer lhe atender melhor. Provavelmente, muitos vão querer voltar a receber seus e-mails.
Quem não respeita o opt-out faz spam, mesmo que a base seja de seus próprios clientes. E isso traz prejuízo à sua imagem. E ao próprio mercado de e-mail marketing sério, que se esforça para mostrar que oferece uma mídia com relação custo/beneficio sem precedentes e que deve ser, sempre, levada em consideração no planejamento de comunicação de uma empresa.

4 – Permanência
Se o e-mail marketing é uma mídia, ele também está sujeito à necessidade de repetição, de freqüência na exposição. Não da mesma mensagem, como um comercial de televisão, é claro. Mas da repetição da própria ação de fazer e-mail marketing. É importante que o e-mail seja enviado periodicamente e com a Proposta renovada. É possível ter um produto em oferta e, através de uma campanha de e-mail, criar um senso de urgência para o final da promoção. Mas é importante que cada e-mail enviado traga algo diferente, para não cansar o seu público. E a permanência das suas campanhas de e-mail marketing, além de trazer mais resultados, criarão um vínculo com seu público. Serão, até, desejadas por ele. Que atire a primeira pedra quem já comprou nas grandes lojas de varejo on-line e não gosta de receber suas campanhas de e-mail para saber quais são as novidades do mundo da eletrônica e informática, por exemplo. Para não tornar seus e-mails cansativos, experimente alternar os produtos e serviços divulgados. Mensure os resultados obtidos de leitura e cliques e vá fazendo os ajustes finos na forma e no conteúdo. E-mail marketing dá resultado. Basta fazer bem feito, e antes que seu concorrente o faça.

Por Rodrigo de Almeida - Diretor Comercial da Dinamize.
Fonte: Dinamize
em: MagoWeb

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

[WEB] Mídias Sociais e SEO - (Guanacast 88 e 89)


No Guanacast 88 - A Tropa de Elite do SEO nacional. Gustavo Guanabara, Thiago Luz, Fábio Ricotta, Paulo Teixeira, Cléo Morgause, Guga Alves e Léo Cabral vão discutir técnicas de otimização para sites de busca durante o primeiro evento de SEO do Rio de Janeiro, o CoéSEO.


E no Guanacast 89 - Martha Gabriel, engenheira, professora e artista apaixonada por Mídias Digitais. Ela vai falar sobre a evolução dos mecanismos de busca e explicar como foi a evolução desse tipo de site que hoje faz parte do nosso dia-a-dia, seja para o lazer ou para o trabalho.


por: Gustavo Guanabara
em: Guanabara.Info

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

[WEB] Cinco mandamentos da campanha digital

Silvio Tanabe, consultor da Magoweb Marketing Digital e Soluções para Internet, elaborou uma pequena lista de cinco diretrizes básicas para o marketing digital em campanhas políticas. Veja os pontos levantados por ele:

Descentralização
Ao contrário das campanhas tradicionais, a ordem na internet é descentralizar, ou seja, incentivar os correligionários e simpatizantes a criar os próprios meios para divulgar seus candidatos. O comitê da campanha funciona como uma fonte de referência de conteúdo, colocando a disposição informações, notícias e fornecendo orientação aos internautas;

Interação
A internet permite que, além dos comícios, do rádio e da TV, também seja possível interagir virtualmente por meio das redes e mídias sociais. Essa participação é tão importante quanto a presença física por ampliar o número de contatos;

Mobilização
O maior desafio dos partidos e dos candidatos nas eleições é mobilizar o eleitor a promovê-lo em comunidades ou redes de relacionamentos. Nas eleções presidenciais americanas, isso ficou bem claro na campanha "Yes, we can!", que mobilizou sobretudo os jovens na web;

Transparência
A internet é uma arma importante para fazer com que a honestidade e a transparência deixem de ser uma opção para se tornar uma obrigação no meio político e as ONGs também tem usado a web para incentivar os políticos a serem mais transparentes. O exemplo mais recente é o site www.fichalimpa.org.br que mostra o histórico dos candidatos;

Monitoramento
A web permite que seja possível monitorar, de forma quase imediata, o impacto sobre as ações realizadas durante a campanha. Em uma campanha de curta duração, usar estas informações para direcionar as ações pode representar o sucesso ou o fracasso na eleição.

em: revista TI Inside - ano6 - nº61 - setembro 2010

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

[INFORMAÇÃO] Veja como será o Dia do Jogo Justo!


O Jogo Justo é mais do que só um projeto. Ele se  tornou uma verdadeira ação entre os brasileiros para que possam retirar  todos os obstáculos exagerados que o país coloca para que as pessoas  possam comprar seus jogos a preços acessíveis.


Em novembro, acontecerá o que antes era chamado de “Dia Sem Imposto”. Agora, com o nome de “Dia do Jogo Justo”, nós podemos saber todos os detalhes desse dia tão aguardado quando o cabeça do Jogo Justo dá uma entrevista para o PortalGamerTV. Como vai funcionar? Quem irá participar? Será em todo o Brasil? Todas as perguntas são respondidas aqui:




por: Stephan Martins

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

[INFORMAÇÃO] Robô que soca humanos

Muita gente acha engraçado ou até se irrita quando aparecem notícias envolvendo robótica e surgem aqueles comentários falando “Skynet!”. Mas dessa vez, eles vão ter que pensar duas vezes…

Um grupo de cientistas da Eslovênia criaram um robô cujo propósito é socar os seres humanos. É isso mesmo o que você leu. Se você é dos fãs inveterados de Isaac Asimov, deve estar se mordendo de raiva no momento. Mas espere, pois tudo isso é por uma boa causa!

Segundo o supervisor do grupo, o trabalho servirá justamente para que no futuro os robôs possam aderir à Primeira Lei da Robótica de Asimov: “Um robô nunca poderá ferir um ser humano”. Como? É meio simples. A cada golpe, a reação de dor e o impacto são analisados minuciosamente, para que possa ser desenvolvido uma detecção de impacto superior a qualquer coisa. E assim, o robô saberia identificar o que seria “machucar” e o que seria “tocar”.

por: Stephan Martins
em: Jovem Nerd

[HARDWARE] Cabos Organizadores

Se você está lendo este artigo com certeza está tendo problemas para organizar seus cabos ou quer melhorar essa organização de um modo mais fácil. Pois bem, se você é obcecado por arrumar cabos e fixá-los, para que não se embaracem, os designers Ji Eun Lee, Yi-Seo Hyeon, Heo-Hyeoksu e Jeong Minhui pretendem acabar com essa zona. Eles acabaram de obter financiamento (e poder de lobby) para construir um tipo de cabo que tenta evitar o embaraçamento dos fios. O cabo possui uma espécie de bloco que permite que ele se encaixe, assim como ocorre com os brinquedos LEGO.
Mas não, esses cabos não vão ser patrocinados pela LEGO. Contudo, a adoção do novo sistema, deverá esbarrar nos interesses dos fabricantes, que terão que se adaptar ao projeto.

por: renanturrm

[PHP] Consulta ao banco de dados + Ajax sem refresh

Olá pessoal, meu primeiro post aqui no guia do php! Ele esta reservado a uma função que me ajudou bastante e quero compartilhá-la com vocês. Ela executa uma consulta ao banco de dados via HTTPRequest e preenche o formulário automaticamente sem refresh na página a partir de um campo preenchido.
Essa função é viável em casos específicos onde a busca pode ser filtrada por uma identificação que não se repetirá no banco de dados e que possua uma quantidade certa de caracteres, como por exemplo, a id do produto.
Primeiro começaremos com a criação da tabela:
- Tabela: teste
create table teste (
id integer not null primary key,
descricao character varying(20) not null,
preco integer not null,
quantidade integer not null
)
- Inserindo dados na tabela
insert into teste2 (id,descricao,preco,quantidade) values (11111,‘caneta’,2.50,10);
insert into teste2 (id,descricao,preco,quantidade) values (22222,‘lápis’,1.20,15);
insert into teste2 (id,descricao,preco,quantidade) values (33333,‘borracha’,1.00,10);
logo após é criada uma pasta com nome ajax onde será colocada a pagina ajax.js que contem a função sack.
- ajax.js
download do arquivo
agora, criaremos a pagina principal do formulário:
- index.html

“”
method=“POST”>

“0″>
id:“text” size=“15″ maxlength=“5″>
descrição:“text” size=“15″ maxlength=“15″>
preço:“text” size=“15″ maxlength=“6″>
quantidade:“text” size=“15″ maxlength=“6″>
E agora, a pagina getID que irá fazer a consulta ao banco de dados. - getID.php
$host = ‘localhost’;
$bdname = ‘banco’;
$user = ”;
$password = ”;
$conexao = pg_connect(“host=$host dbname=$dbname user=$user password=$password”) or die (“Não foi possível conectar ao Banco de dados.”);
if ( isset( $_GET[ 'id' ] ) ){ $res = pg_query(“SELECT * FROM teste2 WHERE id=’” . $_GET[ 'id' ] . “‘”);
// caso haja retorno na consulta, irá preencher os campos do formulário, senão irá apagar seu conteúdo.
if ( $inf = pg_fetch_array( $res ) ){
echo “formObj.descricao.value = ‘” . $inf[ "descricao" ] . “‘;n”;
echo “formObj.preco.value = ‘” . $inf[ "preco" ] . “‘;n”;
echo “formObj.quantidade.value = ‘” . $inf[ "quantidade" ] . “‘;n”;
}else{
echo “formObj.descricao.value = ”;n”;
echo “formObj.preco.value = ”;n”;
echo “formObj.quantidade.value = ”;n”;
}
}
?>
O sistema interage da seguinte maneira, ao perder o foco do campo ID do formulário através do onblur na função initFormEvents, a função getClientData fará a verificação do valor quando este não estiver nulo ou diferente da quantidade estipulada, caso esteja correto ele executa a função requestFile na pagina getID.php onde é feita a consulta através da variável id, em seguida ele retorna as respostas no formulário especificado na função showClientData e assim são executadas todas as funções da classe contidas na pagina Ajax.php que são responsáveis por todo o processo em execução sem refresh na página.
Caso seja necessária a utilização de mais de uma variável para realizar a consulta, basta acrescentar uma variável em Ajax que pegue o valor do campo especifico, adicioná-lo a url da função ajax.requestFile e fazer o tratamento dela na pagina getID.php.
Bom pessoal, espero que essa função ajude vocês tanto quanto me ajudou.
Até a próxima!

por: Alonso

[INFORMAÇÃO] O cliente tem sempre a razão ?

Todos os dias, empresas passam por diversas situações com seus clientes. A opnião de quem entende sobre a opnião de quem paga é um fator muito importante que venho abordar hoje com vocês do Guia do PHP. Para todo e qualquer cliente, profissionais de informática são considerados mágicos, pois é só estalar os dedos e nós conseguimos realizar as tarefas solicitadas.

Muitas tarefas são como mágicas e conseguimos realizar normalmente sem nenhuma complicação, mas outras infelizmente é preciso muita dedicação e uma boa estrutura para desenvolvimento. Conseguir entender e aplicar a mensagem que o cliente esta tentando passar não é uma tarefa muito boa, para muitas empresas existe um profissional especializado nisso, o Analista de Sistemas. É ele quem realiza todo levantamento de dados diretamente com o cliente e será o responsável por passar a mensagem do cliente para a equipe de desenvolvimento.

Mas porque tanta dificuldade em obter informações ? Até que ponto nós profissionais técnicos temos razão e podemos dar opnião no projeto de nossos clientes ?

Em todos todos os projetos que desenvolvemos temos que ficar como um juíz , profissional que esta entre o cliente e a tecnologia. Não podemos passar para o cliente que uma solução é viável se não existir tecnologia para desenvolver tal solução. Certos clientes acham que por mais simples que seja qualquer funcionalidade e ferramenta, tudo é possível. Mas isso nem sempre acontece, precisamos saber impor os limites e mostrar de uma forma adequada o que é o certo e o que é errado, pois somos nós que conhecemos a tecnologia.

Nos últimos tempos, onde a demanda de trabalho esta em alta, os clientes estão cada dia mais exigentes em nível pessoal e técnico. Fatores que influenciam na decisão de um cliente:

* Apresentação
* Postura
* Comunicação
* Portfólio
* Atenção

Esses são itens que devem ser primados para que consiga sucesso em seus projetos, pois sem um bom tratamento com os clientes não se mantém um bom relacionamento de trabalho.

Mas até onde consigo dar opnião para o meu cliente ?

Às vezes o cliente lhe apresenta uma idéia e vai até o último momento acreditando nessa idéia, mostrando que é a melhor solução para o seu problema. Isto é uma situação complicada, pois existem clientes que buscam o profissional mas quem apresenta a solução é ele rsrs. Quem é da área sabe o que estou falando. Com isso, precisamos explicar para o cliente a melhor solução para aquele problema, mesmo essa sendo diferente da que ele planejou. Pois de fato somos profissionais de tecnologia e temos o conhecimento a nosso favor.

Mas nem sempre o cliente aceita essa opnião, é onde entra uma válvula de escape para todo profissional. Apresentar cases parecidos de concorrentes. Com isso, você mostra pro cliente o que esta acontecendo no segmento de mercado em que ele atua e o que os seus concorrentes estão apresentando para os clientes. Às vezes dá certo, porém existem situações onde o cliente não deixa você opniar e acha que a idéia dele é a melhor solução para o problema.

Nosso objetivo como profissionais de tecnologia é sempre motivar o cliente e mostrar para ele que somos capazes de desenvolver ferramentas que irão solucionar o problema. Passar confiança para que a partir disso, ter a liberdade de desenvolver um projeto com qualidade.


Lembre-se, nem sempre o cliente terá razão, mas poderá achar que sim. Cabe a nós, estabelecer um nível de comunicação e gerar um acordo sensato e com a possibilidade de novos negócios.

Como ?

* Defina seus valores, princípios e até onde poderá chegar seu trabalho e relacionamento com o cliente.
* Seja firme na defesa das suas idéias. Nunca se esqueça, você é quem tem o conhecimento técnico.
* Conheça o cliente, estude, analise e apresente a melhor solução. Isso ajudará na decisão dele.

Bem, vale a pena pensar numa frase que foi publicada no editorial do The Wall Street Journal, em 1992:

“Você pode demitir seus clientes”.

Sucesso.

por: Pablo Garrido

sábado, 9 de outubro de 2010

[INFORMAÇÃO] O Caso Jovem Nerd - Empreendedorismo

O caso de sucesso do site e podcast sobre o mundo nerd mostra que a partir da identificação com o público é possível receber publicidade e vender produtos da marca.

Por Matheus Pacheco
A cena é inusitada: numa sessão de autógrafos, uma multidão ansiosa pelos autógrafos dos empresários da editora, das mulheres deles, dos amigos deles e dos filhos deles, tanto quanto do próprio autor.
Aconteceu com os empresários e blogueiros Alexandre Ottoni e Deive Pazos no lançamento do livro do amigo e autor Eduardo Spohr, A Batalha do Apocalipse. Nunca ouviu falar? O site que eles criaram, Jovem Nerd, tem mais de 25 mil acessos diários e o livro de Spohr, lançado pelo selo vinculado ao site, se tornou o livro mais vendido no estande da Editora Record na Bienal do Livro 2010 em São Paulo.
Mas o que faz tanta gente querer suas contra-capas autografadas não só pelo autor mas por outras pessoas que, à primeira vista, não têm conexão nenhuma com a obra? Simples: são todos participantes do conteúdo base que sustenta toda a estrutura do site, que é um podcast.
Um podcast é um arquivo de áudio, parecido com um programa de rádio, mas que as pessoas baixam e ouvem onde e quando quiserem no seu tocador de mp3 (a parte “pod” do nome combina com Ipod). No caso, o “nerd”cast vai ao ar toda sexta-feira e é um papo descontraído entre amigos, com o que seria a visão nerd sobre os mais variados temas (inclusive os não nerds).
O formato aparentemente despretensioso os tornou famosos. Os participantes, ao exporem suas histórias, gostos e visões tão variadas (há o sarcástico, o escritor, o que mora no exterior, o amigo-enciclopédia), criam uma discussão equilibrada e várias possibilidades de identificação com o espectador.
Ao mesmo tempo, compartilham com os ouvintes um interesse comum, o olhar nerd sobre o mundo. Como empreendedores com o mesmo interesse que seus clientes, eles se colocam como consumidores e estabelece-se o par.
Prova desse elo é um vídeo publicado no site em que eles aparecem adquirindo várias caixas de actions figures nos EUA (“figura plástica posável de um personagem”, segundo a Wikipédia; “brinquedo adulto” parece um pouco mais claro para que não é iniciado).
Ao concretizar um sonho tipicamente nerd “comprar quantos action figures for possível numa loja no exterior” eles demonstram o quanto compartilham naturalmente dos anseios de seus clientes. E é justamente essa familiaridade que tornou possível a tarde de autógrafos “coletiva”.
A intimidade entre empreendedor e cliente está refletida nos anúncios e produtos vendidos. O público elege as histórias mais marcantes dos programas, o que resulta em “melhores momentos” e canecas com as melhores frases dos participantes vendidas no site.
A caneca não é adquirida pela utilidade específica, mas pela capacidade e impacto que as frases impressas nela têm em fazer recordar o espectador momentos agradáveis de um dos seus programas favoritos. Além do fator emocional, o consumidor ainda faz parte da confecção dos produtos e dos serviços que ele anseia.
Na parte da publicidade, os anúncios estão sempre de acordo com o tema do programa da semana. O ouvinte então sente uma relação mais honesta entre o site e ele. É menos uma publicidade bolada por especialistas em mercado e sim outros consumidores, quase amigos, dando a sua recomendação e aprovação.
Foi o caso do livro A Batalha do Apocalipse. Os blogueiros gostaram do livro do amigo e acreditaram em seu potencial comercial. Fizeram um nerdcast específico sobre o livro e lançaram alguns teasers durante outros (pequenos trechos do livro lidos por dubladores).
A estatística de 200 livros vendidos em duas horas e o posterior interesse da editora Record em republicar o livro demonstram o sucesso.
O site Jovem Nerd deixa claro a importância do vivenciar, da emoção e da identificação num empreendimento digital. O que vem bem a calhar no contexto atual já que, nesse tipo de abordagem, o cliente, de fato, recusa imitações.
As ferramentas online propiciam novas e inusitadas interações entre empreendedor e cliente – e a pergunta que não quer calar é: você está pronto para desbravá-las, explorar seu potencial no melhor nível? Está pronto para distribuir seu autógrafo?

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

[HARDWARE] Princípios da manutenção de computadores e periféricos

A filosofia está por trás de todas as ciências, e a informática não é exceção. Antes de fazermos qualquer coisa deveríamos planejar, analisar a situação anterior, a atual e o aquela onde queremos chegar, ou seja, nosso objetivo. Para tanto é preciso pensar na filosofia da coisa ou, em termos práticos, vejamos algumas idéias que julgamos importantes para quem lida com manutenção de micros:

1 — Quando é que começa e acaba uma manutenção?
Muitos técnicos pensam que o conserto começa quando estão com o aparelho defeituoso na bancada, com a chave de fenda na mão e prontos para desmontar o “paciente”. Porém, a nosso ver, a manutenção começa no exato momento em que o técnico toma conhecimento do problema, nem que seja por telefone. Em outras palavras, desde o primeiro contato com o cliente o procedimento de manutenção já se iniciou. A partir de então cabe ao profissional tomar as providências de maneira correta, precisa e coordenada para chegar ao bom término do serviço. E como é este término? A situação ideal é que o aparelho fique funcionando, o cliente esteja contente e, claro, o técnico saia com seu pagamento no bolso, num valor justo e bom para todos.

2 — O equipamento já funcionou bem algum dia.
Este é um princípio básico da manutenção, valendo para qualquer tipo de equipamento. É preciso entender que um equipamento em manutenção é diferente de um aparelho novo, que está sendo posto em funcionamento pela primeira vez. Um exemplo: é muito comum, quando se monta um novo computador, que alguma peça tenha vindo de fábrica já com defeito ou que seja incompatível com outros componentes do sistema. Não significa que esteja defeituosa mas que, simplesmente, não funciona bem no conjunto ou são incompatíveis. Mas isto só acontece em micros novos. Deve-se ter sempre em mente que o computador que estamos consertando é usado e, portanto, JÁ FUNCIONOU BEM ALGUM DIA e cabe ao técnico de manutenção descobrir porque ele deixou de fazê-lo. Pode ser algum componente defeituoso, mau contato, programas mal instalados, softwares defeituosos, vírus ou dezenas de outros possíveis fatores, sendo esta a tarefa: descobrir o que interrompeu o perfeito funcionamento do equipamento. 

3 — Determine exatamente qual é o problema
A maneira correta de se abordar um problema, por si só, já representa boa parte da solução do mesmo. Poderíamos também falar assim: “para resolver um problema é preciso primeiro saber qual é ele”. No caso de manutenção de micros é fundamental caracterizar bem o defeito. Pequenos detalhes podem dar pistas valiosas para chegar a um diagnóstico exato, preciso, que realmente resolva o problema e não algum sintoma por ele causado.

4 — Resolva o problema e não o sintoma
Cabe aqui o exemplo do médico: imagine que você está doente e vai procurá-lo. Descreve os sintomas que está sentindo, cabendo ao médico diagnosticar a causa do problema e buscar a cura para ela. De nada adianta receitar um remédio para dor de cabeça se o problema é causado, digamos, por uma sinusite, pois é preciso atacar a causa do problema e não o sintoma. Voltando para a informática, podemos citar um caso real. Determinado cliente nos procurou reclamando que seu computador estava travando. Durante as verificações básicas, que mostramos a seguir, constatamos que o travamento ocorria quando o microprocessador passava dos 70ºC e que este defeito já havia sido detectado anteriormente por outro técnico o qual, na tentativa de remediar a situação, colocou uma ventoinha na traseira do gabinete. O problema foi resolvido momentaneamente, porém, com o forte calor do verão, mesmo esta solução chegou ao seu limite, levando o sistema ao colapso. Analisando o problema, chegamos à conclusão de que o processador não deveria atingir aquela temperatura. Revisando o sistema, notamos que uma das presilhas do cooler estava quebrada, com isto não havia um bom contato térmico entre o processador e o dissipador de calor, dificultando a transferência de calor entre ambos, mesmo estando tudo aparentemente certo. Com a substituição do cooler a temperatura voltou ao normal, dispensando inclusive a ventoinha adicional. Este é um pequeno exemplo prático: o primeiro técnico tratou somente do sintoma, não procurou a causa do problema. 
5 — Utilize ferramentas adequadas
Quem lida com manutenção sabe que numa oficina entra uma grande variedade de aparelhos, de procedências diversas. Igualmente, variam muito as técnicas de montagem e desmontagem dos equipamentos e de seus componentes. Justamente por isto, as oficinas precisam ter um pequeno arsenal de ferramentas (vide o artigo “O que tem na mala do técnico”, na mesma edição da Revista PnP nº 9). Para fazer um serviço realmente profissional, sem avariar o aparelho e perdendo o menor tempo, o ideal é usar a ferramenta certa para cada operação. Por exemplo: se o aparelho exigir uma chave tipo torx ou philips não tente forçar com uma chave de fenda ou alicate, que vão fatalmente estragar a cabeça do parafuso e dar uma aparência amadora ao seu serviço, mesmo que este tenha sido tecnicamente bem feito.

6 — Tenha seu próprio ferramental
Digo sempre que o bom técnico deve investir em ferramentas, quer trabalhe por conta ou como funcionário. Procure adquirir a ferramenta adequada, mesmo que seja para um único aparelho que deu entrada na oficina. Uma vez com ela na bancada certamente vamos descobrir mais usos para a mesma e aumentar nossa produtividade. Todo profissional deve manter e zelar pelas suas ferramentas e instrumentos de trabalho, afinal é com isso que ganha a vida. Sabemos muito bem que, principalmente para quem começa na carreira, é difícil fazer os investimentos necessários para ter o instrumental mínimo, porém é uma meta a ser alcançada. Este é um esforço que vai se pagar com juros ao longo de toda uma vida profissional. Tenha suas próprias ferramentas, de boa qualidade e bem conservadas. Não se envergonhe de ter ciúmes delas e de não querer emprestar para os outros. Cada um que cuide de suas próprias ferramentas!

7 — Faça aparecer o defeito ANTES de mexer no aparelho
Falamos disto também na Revista PnP nº 9, mas é importante citar aqui pois é um procedimento básico. Tem muito técnico por aí — geralmente os menos experientes — que, ao se deparar com um equipamento supostamente defeituoso, já vai logo desmontando, formatando o HD ou instalando algum programa. Calma! Lembre-se das técnicas de primeiros socorros: é preciso primeiro estabilizar o acidentado ou enfermo, depois é que se vai tratar do problema. Quando se deparar com um equipamento defeituoso, antes de mais nada ligue-o e faça acontecer o defeito reclamado. Se você for logo mexendo em tudo não saberá se o defeito realmente foi reparado ou se, na verdade, ele nunca existiu.


Veja este artigo na íntegra no site da Revista PnP: Princípios básicos da manutenção de computadores
Saiba mais sobre a manutenção de computadores na Revista PnP:
Revista PnP nº 9 - Série especial de artigos sobre manutenção de computadores
Revista PnP nº 10 - Os 10 defeitos mais comuns dos micros e suas possíveis soluções 

terça-feira, 5 de outubro de 2010

[EVENTO] Campus Party Brasil 2011!


Olá, campuseir@!

Você tem em mãos uma chance verdadeiramente rara! Ninguém menos do que o Presidente da Telefónica Latinoamérica, José María Álvarez-Pallete,  quer a sua ajuda para saber quais novidades tecnológicas você gostaria de experimentar na Campus Party Brasil 2011!

É isso mesmo! Esta é a sua porta de entrada para auxiliar-nos na construção do maior encontro tecnológico do mundo!

Para deixar sua dica, acesse o Twitter e mande um recado para @JMALVPAL com a sua sugestão! Quer experimentar o IPv6? Novas atrações? Aparelhos de última geração? Então não perca nem mais um segundo!

Entre no seu perfil no microblog e solte o verbo em favor da Campus Party Brasil!

O Curso

O Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas das Faculdades Integradas Simonsen - FIS, é um curso presencial, reconhecido pela Portaria 1.003 de 12.07.1993 (D.O.U. 13.07.1993), com carga horária mínima de 2.334 horas, que poderão ser cumpridas em no mínimo 03 anos (06 semestres letivos) e foi recentemente aditado pela Portaria nº 281, 29 de setembro de 2009, publicada no D.O.U nº 188, de 01 de outubro de 2009, Seção 1, página 19.
Os graduados nos Cursos Superiores de Tecnologia denominam-se tecnólogos, são profissionais de nível superior com formação para a produção, inovação científico-tecnológica e para a gestão de processos de produção de bens e serviços.

Faculdades Integradas Simonsen